Síndrome do Canal Cárpico

O Síndrome do Canal Cárpico surge quando o nervo Mediano é comprimido ao passar, entre 9 tendões, sob o Ligamento Anelar Anterior do Carpo por espessamento do mesmo.

Tal patologia provoca, sobretudo durante a noite, diminuição da força de preensão, alterações da sensibilidade, adormecimentos, formigueiros, dor na mão e nos dedos polegar, indicador, médio e parte do anelar e, nos casos mais graves, atrofia dos músculos na palma da mão junto à base do polegar.

Esta doença é mais frequente nas mulheres e na mão dominante, podendo-se apresentar uni ou bilateralmente.

O diagnóstico faz-se recorrendo a uma eletromiografia.

Alteração da postura da mão, uso de tala durante a noite, emagrecimento, fisioterapia e medicamentos anti-inflamatórios podem melhorar a sintomatologia mas, o tratamento definitivo é cirúrgico.

Pode ser realizada sob anestesia local ou sedação, consoante o paciente, e através de uma pequena incisão na base da palma da mão, em regime de ambulatório.

Um medicamento analgésico controla, geralmente, a situação no período post-operatório mas, o mais importante, é manter a mão intervencionada elevada.

Os sintomas vão desaparecendo paulatinamente e raramente de imediato mas, 2 a 6 semanas após, o paciente pode retomar a sua vida diária na totalidade.

As complicações são raras, tal como a recidiva da doença, mas acontecem.

O nervo Cubital pode também sofrer compressão ao passar no punho, constituindo uma patologia distinta, conhecida como Síndrome do Canal de Guyon.