Cirurgia Íntima Masculina

A Cirurgia Íntima Masculina consiste em 4 intervenções estéticas: alongamento do freio, aumento do comprimento e/ou do diâmetro peniano e escrotoplastia.

O freio curto é causa frequente de dificuldades no desempenho sexual, ou mesmo fora deste, pelas dores causadas, muitas vezes, apenas pelo desencadear da ereção.

Este problema trata-se facilmente com recurso a uma anestesia local e em regime de ambulatório.

O pénis pequeno é, quase sempre, mais um problema psicológico que real.

O desempenho sexual pode fazer-se normalmente mas, o homem, sente a sua masculinidade afetada quando compara o seu orgão com os demais o que afeta grandemente quer a sua vida pessoal quer a social.

Nestes casos o problema pode ser o facto de ter um pénis curto, fino ou ambos.

No primeiro caso tratamos seccionando o ligamento suspensor do pénis associando, quando necessário, um alongamento da pele na base peniana.

A cicatriz fica oculta entre os pêlos da região púbica.

Quando existe um pénis com diâmetro reduzido recorremos aos enxertos de gordura.

Nos primeiros 2 casos a intervenção é realizada sob anestesia local, com ou sem sedação, enquanto que no último uma anestesia geral é necessária e realiza-se em regime de internamento.

Analgésicos orais, cuidados de higiene íntima, repouso durante alguns dias com abstinência sexual durante 3 a 4 semanas e, no caso de se fazer lipoaspiração, pressoterapia são, normalmente, os cuidados suficientes.